Navegando na Filosofia - Carlos Fontes
Caracteriza a acção humana

Somos inteiramente livres?

Voltar

Textos

 

Existir é um modo de vida que é próprio do ser capaz de transformar, de produzir, de decidir, de criar, de recriar, de comunicar. Paulo Freire 

Esquemas

 

 

Actos Voluntários e Involuntários

 

 

 

Síntese

Acção Humana

 

1. O homem define-se pelo modo como escolhe, decide e executa as diferentes acções. Cada homem individualiza-se neste processo. Através das acções o homem transforma a realidade, intervém no curso dos acontecimentos, torna-se num agente de mudança. As suas acções projectam-no no futuro.

2. As acções denominadas humanas são as específicas do homem, as que são inerentes à sua natureza. O homem pratica dois tipos de actos: os que são comuns a outros animais e os que só ele próprio realiza.

No primeiro caso temos, entre outros, os chamados actos instintivos.Os estudos de Konrad Lorenz, apontam para a existência de quatro grandes instintos comuns ao homem e aos animais (Nutrição, Reprodução, Fuga e Agressão). Os instintos nos animais determinam quase totalmente o comportamento destes, permitindo-lhes uma resposta perfeita ao meio, constituindo uma condição imprescindível à sua sobrevivência.

No segundo, a actividade instintiva é secundarizada em favor da actividade reflexiva, especifica dos seres humanos. Agir, no caso do homem, implica pensar antes de agir (analisar as situações, definir objectivos, escolher as respostas mais adequadas e ponderadas as suas consequências). Por tudo isto não podemos reduzir as acções dos homens a simples actos mecânicos. Os homens são livres de agir ou não, de escolher um ou outro caminho. Os seus actos possuem uma dimensão moral que se fundamenta na liberdade e na consciência da acção.

Numa dimensão moral, como veremos, os homens praticam também actos que embora sejam conscientes e intencionais não deixam de ser considerados inumanos. A razão é que os mesmos não se enquadram no âmbito daqueles que consideramos dignos de seres humanos.

(Texto: Diferenças Homem-Animais)

3.Dada a diversidade das acções que o homem pratica é natural que a palavra acção tenha muitos significados. Importa distinguir dois tipos de acções, as involuntárias e as voluntárias.

      Acções involuntárias: as acções que não implicaram qualquer intenção da parte do sujeito. Coisas que acontecem connosco, mas onde nos limitamos a ser meros receptores de efeitos que não provocamos. Há actos que realizamos por um mero reflexo instintivo, fazemo-los sem pensar. Há outros que realizamos de forma acidental devido a uma sucessão de causas que nos são totalmente alheias e que não controlamos.

      Acções voluntárias: as acções  que implicam uma intenção deliberada do sujeito de agir de determinado modo e não doutro. Estas acções  são reflectidas, estudadas, premeditadas ou até projectadas a longo prazo tendo em vista atingir determinados objectivos. Nestes casos afirmamos que temos a intenção ou o propósito de fazer o que fazemos.

Aplicamos o termo acção apenas ás que realizamos de forma consciente, dado que são as únicas que são específicas dos seres humanos.

Carlos Fontes

Carlos Fontes

10º. Ano Programa de Filosofia

Navegando na Filosofia