Mileto: O Início de um Processo

Ruínas do antigo Teatro de Mileto

 

 

A filosofia possui um lugar mítico de origem- Mileto. Trata-se de uma antiga colónia grega situada na Jónia,  metade sul da costa ocidental da Ásia Menor.

A Jónia foi segundo Jean Bernardt, a primeira região a libertar-se claramente do imobilismo  e das pesadas tradições que definem "a organização dos modos de vida predominantemente camposes, em que reinam aristocracias agrárias". Nesta região da Grande -Grécia, uma pujante civilização urbana crescera em vários locais, ligada ao artesanato e a trocas comerciais a longa distância, por via marítima. É nesta região, verdadeira encruzilhada de culturas, que uma velha colónia cretense - Mileto - atingirá nos séculos VII e VI a.C., uma enorme opulência. Aqui surgirão os "três primeiros" filosófos: Tales, Anaximandro e Anaxímenes.

A Nova Atitude

As especulações destes três filósofos pouco se afastam do pensamento mítico quanto aos temas que abordam. A sua grande inovação está na atitude e no modo como o fazem. Eles começam por transpor para uma forma des-sacralizada, material ou abstracta, as ideias sobre o cosmos e a sua origem criadas pela religião, separando desta forma o mundo físico do seu fundo mítico. O mundo de Homéro, por exemplo, ordenava-se por uma partilha entre os deuses, dos domínios e das honras: Zeus, era identificado com o céu "étereo (aither, o fogo); Hades, a sombra "novoenta" (aer, o ar); a Poseidon, o mar, etc.O que eles fizeram foi despojarem os deuses dos seus atributos, ficando apenas com os elementos materiais, a água, o ar, o fogo, etc. A partir destes elementos primordiais, portadores de uma energia própria, imaginaram a criação de todas as coisas.

É por esta razão que durante muito tempo, as suas preocupações foram essencialmente cosmológicas:  como emergiu do caos um mundo ordenado? qual o princípio constitutivo de  de todas as coisas?

Carlos Fontes

Compara os dois modos de pensar:

Pensamento Mítico

"Pois eu vou ver os limites da Terra fecunda, e o Oceano, origem dos deuses, e Tétis, sua Mãe". Homero, Ilíada. 

"Primeiro que tudo houve o Caos, e depois a Terra de peito ingente, suporte inabalável de tudo quanto existe, e Eros, o mais belo entre os deuses imortais, que amolece os membros e, no peito de todos os homens e deus, domina o espírito e a vontade esclarecida.

Do Caos nasceram o Erebro e a negra Noite, e da Noite, por sua vez, o Éter e o Dia, a Terra gerou primeiro o Céu constelado, com o seu tamanho, para que a cobrissem por todo e fosse para sempre a mansão segura dos deuses bem-aventurados.

Gerou ainda as altas Montanhas, morada aprazível das deusas Ninfas, que habitam os montes cercados de vales.

E gerou também o abismo insondável do mar, com marés, embravecidas, o Mar, sem os doces ritos do amor". Hesíodo, Teogonia  (Séc.VIII/VII a.C).

 

Pintura de vaso grego (c.480 a.C.), representando um rapsodo, isto é, um declamador profissional de poemas épicos, como os de Homero.

Pensamento Racional

Tales (624-545 a.C.)

"Pensam eles que também Homero, tal como Tales, que aprendeu dos egípcios, fez da água o princípio e origem de todas as coisas". Frag.70

"É que ele (Tales) diz que o orbe das terras é sustido pela água e se desloca como um barco, e que, quando se diz "que ela treme", efectivamente balouça devido ao movimento da água". Frag.90

"Tales disse que o espírito do mundo é deus, e que a totalidade das coisas é dotada de alma cheia de daímones; é precisamente através da humidade elementar que nele penetra um poder divino que o move". Frag.95

Anaximandro (610-547 a.C.)

"Disse que o princípio e elemento das coisas que existem era o apeiron (indefinido ou indeterminado), tendo sido ele o primeiro a usar o nome de princípio material. (Além disto, disse que o movimento era eterno, do que resulta que se originem os céus)".Frag.103 

"Ele diz que aquilo que produz, a partir do eterno, o calor e o frio, se separou aquando de geração deste mundo, e que a partir dele uma espécie de esfera de chamas se formou em volta do ar que circunda a Terra, como a casca em redor da árvore. Quando esta (a esfera) estalou e foi encerrada em determinados círculos, foi então que se formou o Sol e a Lua e os astros". Frag.123

"Ele diz que a Terra tem a forma cilíndrica, e que a sua profundidade é um terço da largura. A sua forma é curva, redonda, semelhante ao tronco de uma coluna, das duas superfícies planas, nós caminhamos sobre uma, e a outra está no lado oposto". Frag.124

"Anaximandro disse que os primeiros seres vivos nasceram na humidade, envoltos em cascas espinhosas; e que, quando a idade aumentou, se mudaram para a parte mais seca e, depois da casca ter estalado levaram, por curto espaço de tempo, um género de vida diferente". Frag.136

"Demais, ele diz que no começo o homem nasceu de seres de espécie diferente". Frag.137 

Anaxímenes (560-500 a.C.)

"Anaxímenes ... dizia que o ar infinito era o princípio do qual provém todas as coisas que estão a gerar-se, e que existem, e que hão-de existir, e que os deuses e as coisas divinas, e o resto proveniente dos seres por ele produzidos. A forma do ar é a seguinte: quando ele é igual, é invisível à vista, mas é revelado pelo frio e pelo calor e pela humidade e pelo movimento". Frag.144

"E todas as coisas são produzidas por uma espécie de condensação, e depois rarefacção, dele (s.c. ar). O movimento existe, e de facto, desde todo o sempre; ele diz que, quando o ar se comprime, logo se gera a Terra, a primeira de as coisas completamente plana - por isso é consequentemente levada pelo ar; e o Sol e a Lua e os demais corpos celestes têm na Terra a origem do seu nascimento. Pelo menos, ele declara que o Sol é Terra, mas que, devido à rapidez do seu movimento, obtém calor bastante".Frag.151          

"O mundo uno é considerado como gerado e destrutível, por todos aqueles que dizem que há sempre um mundo, embora não seja sempre o  mesmo, mas se torne diferente em diferentes ocasiões de acordo com determinados períodos de tempo, como afirmaram Anaxímenes e Heraclito, e posteriormente os estóicos". Frag.150 

 

Principais Inovações dos Primeiros Filósofos

Carlos Fontes

Referências Históricas

Navegando na Filosofia