Inovação dos Primeiros Filósofos

Do Mito ao Logos

Da análise do pensamento dos filósofos de  Mileto, podemos concluir que os mesmos abriram  uma ruptura com o pensamento mítico, ao criarem uma nova maneira de pensar que privilegia o uso individual da Razão (Logos), secundarizando a Tradição. É por este motivo que esta nova maneira de pensar se designa por Racional.

Pontos em comum dos filósofos de Mileto:

 

Compreender a Natureza

 A sua primeira preocupação foi a de explicar a natureza (Physis, Física), por isso são também denominados de "fisícos".

 

Descobrir o Elemento Primordial (Arkê, arqué).

Toda a natureza tem origem num mesmo elemento material ? Qual ? Como se passou de algo que era Uno e indistinto para aquilo que conhecemos como Múltiplo e distinto?  Estas terão sido algumas das questões que certamente terão colocado e procurado uma resposta e que os levou a procurarem o elemento primordial da realidade (arqué).

 

Redução à realidade à sua dimensão material

Ao centrarem-se apenas na natureza e na procura do seu elemento primordial (físico) operaram uma redução na forma de encarar a realidade. Esta passou a ser vista apenas numa perspectiva material, sendo as suas transformações explicáveis apenas com base em elementos físicos. É por esta razão que estes filósofos se designam também por "materialistas", dado que também afastaram das suas explicações a intervenção de seres sobrenaturais na natureza.

 

Explicação do funcionamento do cosmos

Ao contrário do pensamento mítico que concebia a natureza governada por seres sobrenaturais que nela actuavam de forma arbitrária e imprevisível. Estes filósofos concebem-na como um Todo governado pelo princípio da necessidade: as coisas acontecem porque têm que acontecer, segundo leis que lhes são próprias, imanentes. Sem esta ideia não seria possível constituir-se a Ciência.

Anaximandro legou-nos uma visão surpreendente do cosmos: este não é mais de que um grande mecanismo, que funciona de forma regular e portanto previsível. É com este pressuposto que se fundarão as várias ciências da natureza. 

 O Uno e o Múltiplo

Num plano mais geral, estas investigações filosóficas tornaram evidente que o conhecimento que obtemos pela  razão, nem sempre coincide com o que nos é dado pelos sentidos.

Se através dos sentidos descobrimos um mundo caracterizado pela pluralidade, singularidade, mudança continua e contingência das coisas.

Através da razão conseguimos descobrir a unidade, imutabilidade, universalidade e necessidade dessas mesmas coisas.

Estas duas percepções  da realidade- a dos sentidos e a Razão - constituem um dos temas fundamentais da filosofia. 

Carlos Fontes

Referências Históricas

Navegando na Filosofia